De repente você se torna aquilo que sempre estranhou


Ela atravessa a rua. Bem vestida. De salto.

De salto. (E um esboço de sorriso abre espaço em seu rosto).

A caminhada é firme. Na cabeça, repassa as obrigações do dia. No peito, o coração parece um passarinho assustado que quer sair voando. Afinal, para isso os pássaros são feitos, né?

Chega perto de um prédio que se tornou familiar. Rostos conhecidos e até amigos sorriem enquanto ela passa.

É aqui o meu lugar. Gente do bem. Oportunidades.

E ela se convence. E sorri mesmo quando o rosto queima. Porque é forte. Porque aprendeu que a vida não é feita de caprichos.

Mais um passo.

Foco. Atenção. Engajamento.

Mas a janela distrai… O pensamento voa e o coração sonha mais alto.

Você tem contas para pagar. Ingrata.

E de repente ela está lá. Sentada. Bem vestida. Um emprego bom. Pessoas do bem. Cheiro de gente bem sucedida.

Mas o rosto queima. O passarinho quer sair.

De repente você se torna aquilo que sempre estranhou.

Publicado por

Bianca Menti

Se você chegou até aqui procurando respostas, sinto muito, mas eu também não as tenho. (Tampouco acredito que alguém possa nos ajudar neste quesito). O engraçado é que quanto mais certeza eu tenho sobre esse fato, menos medo eu sinto. A vida é mesmo essa inquietude infinita que nos move sem termos muita segurança! Que assim seja, vamos desfrutá-la!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.