Conviver 


Convivência: dois mundos diferentes que tentam alinhar suas rotações. Nem sempre é fácil adaptar-se ao outro, suas manias, suas crenças de mundo, afinal o objetivo de cada um é sempre satisfazer as próprias vontades.

O ser humano é assim mesmo, voltado para o próprio umbigo. Não leve isso tão à sério, é natural da sobrevivência se colocar em primeiro lugar. E não é algo necessariamente ruim, mas machuca, de fato.

Quando diferentes universos habitam debaixo do mesmo teto há que afinar os instrumentos até sair uma única melodia suave. Mas isso leva tempo, dedicação e muita paciência. 

É por isso que conviver requer mais de um, requer escolher com-quem-quer-viver. E antes de mais nada, é preciso conhecer a si mesmo, seus limites, fraquezas e defeitos.

Publicado por

Bianca Menti

Se você chegou até aqui procurando respostas, sinto muito, mas eu também não as tenho. (Tampouco acredito que alguém possa nos ajudar neste quesito). O engraçado é que quanto mais certeza eu tenho sobre esse fato, menos medo eu sinto. A vida é mesmo essa inquietude infinita que nos move sem termos muita segurança! Que assim seja, vamos desfrutá-la!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.