Ansiedade


Parecia um campo minado, mas era apenas um grupo de pessoas para conhecer. Parecia um teste para ser aceito, mas era apenas uma conversa informal. Parecia uma batalha com plateia exigente, mas era apenas uma saída para um bar. 

Com seu óculos de lentes distorcidas e inapropriadas, nada parecia ser o que era de verdade. A cada convite, uma angústia, um medo de não ser aceito. O que era simples para os outros, lhe custava o sono e a respiração tranquila. 

O quarto era seu abrigo seguro. Os poucos amigos, sua fortaleza. 
Enfrentava os dias apreensivo, esperando sempre o pior. O telefone tocava e o coração já acelerava na expectativa da notícia ruim, da bronca, do julgamento. Era perigoso viver assim, pobre coração. 

Quem via de fora não compreendia. “Que menino mais medroso!”, pensavam. Mal sabiam eles que o menino estava usando óculos errados, que deturpavam toda sua existência.

Publicado por

Bianca Menti

Se você chegou até aqui procurando respostas, sinto muito, mas eu também não as tenho. (Tampouco acredito que alguém possa nos ajudar neste quesito). O engraçado é que quanto mais certeza eu tenho sobre esse fato, menos medo eu sinto. A vida é mesmo essa inquietude infinita que nos move sem termos muita segurança! Que assim seja, vamos desfrutá-la!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.